[Resenha] Infinito + Um - Amy Harmon


Título: Infinito + Um
Autor(a): Amy Harmon
Páginas: 336
Editora: Verus

Quando duas pessoas se tornam aliadas improváveis e foras da lei quase sem querer, como podem vencer todos os desafios?
Bonnie Rae Shelby é uma estrela da música. Ela é rica, linda e incrivelmente famosa. E quer morrer.
Finn Clyde é um zé-ninguém. Ele é sensível, brilhante e absurdamente cínico. E tudo o que ele quer é uma chance na vida.
Estranhas circunstâncias juntam o garoto que quer esquecer o passado e a garota que não consegue enfrentar o futuro. Tendo o mundo contra eles, esses dois jovens, tão diferentes um do outro, embarcam numa viagem alucinante que não só vai mudar a vida de ambos, como pode até lhes custar a vida.
Infinito + um é uma história sobre fama e fortuna, sobre privilégios e injustiças, sobre encontrar um amigo por trás da máscara de um estranho — e sobre descobrir o amor nos lugares mais inusitados.


Infinito + Um conta a história de Bonnie e Clyde. Os famosos criminosos americanos da década de 1930? Não, apesar da história daqueles serem constantemente comparada com a destes.

Bonnie Rae Shelby é uma estrela da música country/pop americana, cuja rotina diária limita-se a incansáveis turnês pelos Estados Unidos. Vinda de uma região e de uma família muito pobre, Bonnie era a esperança da sua casa. Após ganhar um concurso de música em Nashville a garota estoura nas paradas de sucesso, tendo sua vida radicalmente mudada. Acompanhada e controlada por sua avó paterna, Bonnie vê sua rotina resumida a shows, turnês e camarins. 

Tudo isso pode parecer glamoroso e um sonho, para Bonnie no início até era. Mas, após a morte de sua irmã gêmea Minie, a qual sua avó escondeu por uma semana para não “atrapalhar” sua turnê, todo esse estrelato perde o encanto. A garota está devastada e não consegue mais encontrar uma razão para viver. E é justamente quando ela decide que não quer mais tentar que Bonnie conhece Clyde.

Eu não quero morrer de verdade. Só não estou morrendo de vontade de viver.

Finn Clyde tem um passado sofrido, do qual está fugindo. Depois de ter se envolvido em uma confusão com seu irmão, Clyde não apenas o vê morrer em seus braços como é condenado a cumprir cinco anos de prisão. Tudo o que ele quer agora é ficar longe de problemas. Excelente com a matemática, Finn só pensa em começar uma vida nova em Las Vegas. Mas nada na sua vida é fácil, não é mesmo? E apesar de querer ficar bem longe de encrencas, o rapaz simplesmente não consegue se impedir de socorrer e ajudar Bonnie Rae.

Em circunstâncias inesperadas e nada animadores os dois se conhecem em Boston e decidem partir juntos para Las Vegas. Ela leva consigo sua desesperança e sua música, já ele leva suas pesadas lembranças e seus números. Durante essa longa viagem de carro pelos Estados Unidos, Bonnie e Clyde ajudam várias pessoas em diferentes cidades. Neste processo, eles começam não apenas a se conhecer, compartilhando suas dores e sofrimentos, como a descobrir novamente a esperança e a alegria de viver. O que eles menos esperavam é que esta esperança poderia estar no banco ao lado.



Gostei muito de Bonnie. Ela pode ser considerada uma versão de Taylor Swift em seus primeiros álbuns, com seus cachos loiros, suas botas de caubói e músicas que contam histórias. O que mais me chamou a atenção nela foi sua sinceridade, sua instabilidade emocional, chegando a ser até meio louca, e sua compaixão pelos outros. Apesar de estar passando por um momento difícil, ela entrega-se de corpo e alma as experiências que vivencia, sejam elas positivas ou negativas. 

Já Finn, ah o Clyde, me conquistou logo no início. Lindo, alto, loiro e de cabelo na altura dos ombros Clyde é comparado, no próprio livro, com Thor. Conseguem imaginar? Pois é! Mas não é apenas sua aparência que chama a atenção. Esse ex-presidiário, marcado com tatuagens negativas, tem um enorme coração romântico. Ao contrário de Bonnie, ele é fechado e sisudo, mas nem por isso deixa de ser sensível e atencioso.

No início achei que Infinito + Um seguiria a mesma linha que Entre o Agora e o Nunca. Contudo, as histórias tomam rumos diferentes. Primeiro, não sei se Infinito + Um pode ser considerado um New Adult, acredito que se encaixa mais na categoria de romance. Segundo, a viagem de Bonnie e Clyde é marcada por uma constante perseguição e ação, comparável a dos criminosos com o mesmo nome, o que os fazem ser taxados de fora-da-lei. Toda a ação do livro está na tentativa de ambos passarem desapercebidos, de fugirem da polícia e da imprensa.

A autora traz sutis elementos religiosos para a narrativa, o que eu gostei muito. Se você não gosta não fique preocupado, já que eles aparecem somente em algumas músicas cantadas e nas atitudes de compaixão e ajuda ao próximo. São pequenas afirmações e frases ditas por Bonnie que enriqueceram o texto e contribuíram na jornada destes dois. Esses elementos são acompanhados por um romance sutil e recatado, sem contudo ser moralista ou acusatório.

Minha única crítica ao livro diz respeito a narrativa da autora. O livro é dividido entre a percepção de Bonnie e de Clyde, até aí tudo ótimo. Mas ela decidiu fazer isso de forma diferente, fazendo com que a da garota fosse em primeira pessoa e a de Finn em terceira. Essa escolha, apesar de não prejudicar a história, deixou a leitura um tanto quanto estranha. Contudo o que mais me incomodou é que a história é construída de uma forma crescente, que cria uma expectativa no leitor de que determinada coisa acontecerá, não vou contar aqui para não dar spoiler, e quando está para acontecer ela retrocede, voltando a uma nova construção. Então, eu fiquei nesse vai e vem, que no início até aumentou minha curiosidade, mas que depois de um tempo me deixou impaciente, para que o que eu tanto esperava ocorressem de uma vez por todas.

6 comentários:

  1. Dois criminosos? Owww kkk acho que vou gostar dessa história. :D
    Parabéns pela resenha, me deixou com vontade de ler, sobretudo.

    Abraços,

    Pedrim
    http://www.pedrimoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que resenha massa, amei o fato de ter ação no livro e não ser tão YA, já ganhou um espacinho. Mas confesso que essa narrativa parece bem confusa, não seria do meu gosto.

    http://www.meninoliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sabe que eu esperava algo diferente?! Estive muito ansiosa antes do lançamento e estava esperando baixar o preço e alguma resenha que me desse uma luz verdadeira hahuhua. E agora vejo que não faz muito meu estilo, amo romances e tudo mais, porem vi que tem vários elementos dos quais não me simpatizo. Sua resenha ficou ótima, clara e muito esclarecedora!
    Super beijo, Bru - www.naoemprestolivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bru, eu também esperava algo bem diferente. Me decepcionei um pouco... o livro não é ruim, mas esperava bem mais.

      Beijos

      Excluir
  4. Olá, Lili!
    Pela capa eu imaginava uma estória totalmente diferente haha Me lembrou muito também Entre o Agora e o Nunca <3 Gostei muito isso deles serem foras da lei AMO haha Acho que dar mais sabor a estória. Quero!
    Beijos, Garota Vermelha
    www.livrosdagarotavermelha.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Nossa,que história hein!? Não curti muito não...Prefiro sua resenha,foi honesta e convincente.Mas o livro não me chamou pra lê-lo.
    Beijo;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

© Meninas na Literatura | Layout por A Design e Ilustração por MK Designer