[Resenha] A Garota no Trem - Paula Hawkins



Título: A Garota no Trem
Autor(a): Paula Hawkins
Páginas: 378
Editora: Record

Todas as manhãs, Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas dágua, pontes e aconchegantes casas.
Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes a quem chama de Jess e Jason , Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess, na verdade Megan, está desaparecida.
Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.



Faço parte de um grupo de amigas literárias, no qual decidimos fazer uma leitura coletiva por mês. O livro escolhido para abril foi A Garota no Trem. Fiquei muito animada com a escolha, porque tive que sair da minha zona de conforto para conhecer novos gêneros literários, neste caso, um triller psicológico. 


Como a sinopse do livro já nos conta, em A Garota no Trem conhecemos Rachel, que todos os dias, ao pegar um trem para Londres, observa as casas ao redor dos trilhos. A casa preferida de Rachel é a número 15, na qual mora um jovem casal. Apesar de não conhecer os moradores da casa, Rachel sente como se os conhecesse, uma vez que em suas viagens ela constrói toda uma história em sua cabeça a respeito de quem são, como vivem e o que fazem. É por isso que quando Megan desaparece, Rachel sente-se na obrigação de ajudar tanto a polícia quanto o jovem marido a resolver esse mistério.

O livro é narrado do ponto de vista de três mulheres: Rachel,  Anna e Megan. A escolha narrativa da autora é bem diferente do que eu estou acostumada, uma vez que esta é feita por dias e por períodos. Isso deixa a escrita um tanto quanto recortada, mas ficou coerente e contribuiu para o suspense. Como já dito, a história é contada por três personagens, o que nos permite ver os acontecimentos por diferentes perspectivas, perspectivas complementares, que enriquece a obra. 

A primeira a aparecer é Rachel, uma mulher alcoólatra, desempregada e deprimida. Tudo isso por causa de sua separação com Tom, seu ex-marido, que a traiu e agora tem uma nova família. Tive problemas com Rachel no início do livro, sua bebedeira, suas constantes humilhações na tentativa de reconquistar Tom foram irritantes. Porém, com o desenrolar da trama, outros lados da personagem vieram a tona, fazendo com que eu torcesse por ela, ficasse com pena, sofresse e passasse raiva.

A segunda mulher que aparece no livro é Megan, a jovem que Rachel observa do trem e que desaparece. Casada com Scott, Megan mora na mesma rua que Tom e sua atual mulher, Anna. Não me identifiquei com ela, apesar da autora contar muito bem sua história. Seu passado nebuloso e seus ataques de pânicos não conseguiram suscitar minha simpatia, seus problemas de fidelidade terminaram pesando mais balança, desequilibrando minha visão da personagem. 

Por fim, temos Anna, a atual mulher de Tom. Estes foram amantes enquanto Tom ainda era casado com Rachel o que já me fez ficar com o pé atrás com ela, me julguem! Os partes contadas por Anna focam basicamente nas perturbações e constantes aparições de Rachel. No início achei que essa seria uma daquelas personagens fúteis e desnecessárias, mas com o desenrolar da história a autora foi investindo em Anna e dando um rumo para a mesma que eu gostei muito. 



Eu sei que essa resenha ficou comprida, mas esse livro merece gente. A obra é tão rica e o mistério tão bem construído que eu poderia escrever páginas a respeito dele. Como não quero estragar a surpresa para ninguém vou só dizer que, ao longo da leitura, construí pelo menos três teorias para o desaparecimento de Megan. A curiosidade que a história desperta na gente é quase insuportável no bom sentido e confesso que fiquei tentada a pular para o final do livro, só para saber o que realmente tinha acontecido. Apesar de esperar um pouco mais da história, foi meu primeiro triller psicológico, e posso dizer que amei a experiência! 

Para quem não sabe, o livro vai ser adaptado para as telonas e o trailer já saiu. Corre ler, que ainda dá tempo!!!



5 comentários:

  1. Eu ameiii esse livro quando li. E estou super ansiosa pelo filme, porém, pelo que vi no trailer, vai ser bem romantizado né?! Não que eu não goste, mas sou chata kkk.
    Beijos, Bru - www.naoemprestolivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pareceu mesmo Bru. Eu espero algo mais power, vamos ver... porque às vezes o trailer engana.

      Beijos

      Excluir
  2. Estou LOUCA para ler esse livro. Amo esse gênero e depois de Garota Exemplar fico sempre atrás de um novo. Espero que o filme seja tão bom quanto dizem que o livro é.
    Bjs,
    http://umleitornooceano.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. mDs, eu também tô doido pra ler faz é décadas. <3
    O trailer ficou bem lixo kkkk mas acredito que vai ser legal.
    Parabéns pela resenha.

    Abração,

    Pedrim Oliveira
    http://pedrimoliveira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Lili!
    Sou louca para ler esse livro. Acho a estória muito interessante e envolvente. Fiquei bem feliz com a notícia do filme! Espero que seja fiel haha Amei a resenha, amiga!
    Beijos, Garota Vermelha
    www.livrosdagarotavermelha.wordpress.com

    ResponderExcluir

© Meninas na Literatura | Layout por A Design e Ilustração por MK Designer