[Resenha] Uma Chama entre as Cinzas - Sabaa Tahir


Título: Uma Chama entre as Cinzas
Autor(a): Sabaa Tahir
Páginas: 432
Editora: Verus
Laia é uma escrava. Elias é um soldado. Nenhum dos dois é livre. No Império Marcial, a resposta para o desacato é a morte. Aqueles que não dão o próprio sangue pelo imperador arriscam perder as pessoas que amam e tudo que lhes é mais caro. É neste mundo brutal que Laia vive com os avós e o irmão mais velho. Eles não desafiam o Império, pois já viram o que acontece com quem se atreve a isso. Mas, quando o irmão de Laia é preso acusado de traição, ela é forçada a tomar uma atitude. Em troca da ajuda de rebeldes que prometem resgatar seu irmão, ela vai arriscar a própria vida para agir como espiã dentro da academia militar do Império. Ali, Laia conhece Elias, o melhor soldado da academia — e, secretamente, o mais relutante. O que Elias mais quer é se libertar da tirania que vem sendo treinado para aplicar. Logo ele e Laia percebem que a vida de ambos está interligada — e que suas escolhas podem mudar para sempre o destino do próprio Império.
 
Uma Chama entre as Cinzas conta a história de Laia, uma garota Erudita, que teve quase toda a sua família assassinada pelo Império. O único parente que lhe sobrou foi Darin, seu irmão, que foi capturado por um Máscara (pior tipo de soldado do Império) e levado para a prisão. Laia está decida a fazer tudo o que estiver ao seu alcance para salvá-lo, mesmo que isso signifique juntar-se à Resistência e a servir como escrava para a cruel comandante de Blackcliff, a academia de formação dos Máscaras.

Elias é o melhor soldado da academia. Isso deveria ser motivo de orgulho, contudo, tudo o que ele quer é fugir da violência e do ódio que permeia o local. O soldado tem tudo preparado para a sua deserção após a sua formatura, porém seus planos fracassam quando os adivinhos do Império o escolhem para participar das Eliminatórias, nas quais um novo imperador será eleito.

Duas histórias de vida diferentes. Duas criações e sofrimentos diferentes. Mas ambas as vidas interligadas pelo mesmo desejo: se libertar da tirania. Será que suas escolhas poderão mudar para sempre o destino do Império?

Uau, que livro! Estou acostumada a ler romances, então essa aventura foi como um vento fresco em dias quentes nossa como eu estou poética...hahaha. A história já começa com batidas marciais, gargantas cortas e fuga. Todo o enredo é marcado por uma violência, presente em chicotas e lutas, e um ódio que tinha tudo para ser terrível, mas que só faz com que o leitor torça ainda mais pela queda do Império, pelo fim da tirania.

Muita gente fala mal de Laia, e por isso eu tinha uma expectativa bem ruim com relação a ela. Eu não achei a garota tão chata assim, não que ela seja uma protagonista excelente, mas já vi piores como a protagonista da série A Maldição do Tigre. O que me fez perder um pouco a paciência foi a demora e a enrolação na interação entre os personagens principais, não via a hora desses dois se encontrarem, para saber no que ia dar. Contudo, isso não chegou a atrapalhar muito a leitura. 

A autora conseguiu me conquistar com sua escrita. Toda vez que a história começava a ficar cansativa algo novo aparecia, renovando minha curiosidade e minha vontade de continuar lendo. A narrativa é intercalada entre capítulos de Laia e de Elias, intercalando também meu desejo por saber o que iria acontecer e como eles iriam escapar das armadilhas que apareciam em seu caminho. 

Destaque especial para duas personagens secundárias. A primeira é a comandante, que casa de ser a mãe de Elias. Esta mulher é extremamente cruel, violenta e calculista, não tendo piedade com seus escravos e não escondendo seu ódio por seu filho bastardo. Se tem um vilão nessa história é essa comandante que ódio que fiquei dela, pelas coisas que faz com Laia principalmente. A outra personagem, Izzi, é o oposto. Após sofrer nas mãos da comandante, a escrava dedica-se a ajudar Laia, colocando sua vida em risco por essa amizade. Torci muito por ela e admirei muito sua coragem e ousadia.

Pela minha resenha pode parecer que o livro é só violência bomba, briga e quebradeira, mas não é. É uma história de superação, de enfrentamento, de descobrimento pessoal e de luta por valores considerados importantes. Ao final, me ficaram as perguntas: onde está a sua lealdade? Ela está nos valores certos? Recomendo muito a leitura, é um ótimo livro!
 

5 comentários:

  1. Olá, Lili!
    Socorro eu estou louca para ler este livro *-* A estória parece ser ótima, bem na pegada que adoro! Foi ótimo saber que ela possui lições e muita ação <3 Linda resenha!
    Beijos, Garota Vermelha
    www.livrosdagarotavermelha.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nath, acho que você vai gostar do livro. É ótimo! Não sei se vou aguentar esperar o segundo sair em português para ler... hahaha.

      Beijos

      Excluir
  2. Oi, como vai? Eu não sou muito de ler esse gênero, mas adorei a premissa da história. Não sei se a protagonista me irritaria, já que a Kelsey de A Maldição do Tigre não me irritou rsrs espero poder ler em breve.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Miriã, a premissa é muito boa mesmo. Se você não se irritou com a Kelsey acho que não vai se incomodar com a Laia... hahaha.

      Beijos

      Excluir
  3. Oi, Lili. <3
    Gente. só você pra me animar, vi uma resenha desanimadora desse livro.
    Fico feliz que tenha, em suma, gostado, sinal que se eu ler também vou curtir muito.

    Abraços,

    Pedro Oliveira
    Um Menino Leitor

    ResponderExcluir

© Meninas na Literatura | Layout por A Design e Ilustração por MK Designer