[Resenha] Imperfeitos - Cecelia Ahern



Título: Imperfeitos
Série: Flawed #1
Autor(a): Cecelia Ahern
Páginas:320
Editora: Novo Conceito



Celestine North vive em uma sociedade que rejeita a imperfeição. Todos aqueles que praticam algum ato julgado como errado são marcados para sempre, rechaçados da comunidade, seres não merecedores de compaixão.
Por isso, Celestine procura viver uma vida perfeita. Ela é um exemplo de filha e de irmã, é uma aluna excepcional, bem quista por todos do colégio, além do mais, ela namora Art Crevan, filho da autoridade máxima da cidade, o juiz Crevan.
Em meio a essa vida perfeita, Celestine se encontra em uma situação incomum, que a faz tomar uma decisão instintiva. Ela faz uma escolha que pode mudar o futuro dela e das pessoas a seu redor.
Ela pode ser presa? Ela pode ser marcada? Ela poderá se tornar, do dia para a noite Imperfeita?
Nesta distopia deslumbrante, a autora best-seller Cecelia Ahern retrata uma sociedade em que a perfeição é primordial e quem cometer qualquer ato falho será punido. A história de uma jovem que decide tomar uma posição que poderá custar-lhe tudo.


Celestine foi criada em uma sociedade que rejeita a imperfeição. Todos aqueles que praticam algum ato considerado errado são julgados e marcados para sempre, por isso a garota busca ser perfeita em tudo. Isso muda quando ela vê algo que considera injusto acontecer, fazendo com que tudo o que acreditava seja questionado e revisto.

No início pensei que Celestine seria uma daquelas protagonistas fúteis e superficiais. Acostumada a aceitar o discurso pronto apresentado pela sociedade, a garota, assim como grande parte da comunidade em que vive, considera os Imperfeitos como “leprosos”, dos quais não se deve chegar muito perto. Nesta busca pela extinção das imperfeições humaniza-se os objetos e desumaniza-se as pessoas. A forma como o certo e o errado é apresentado pelo mundo Imperfeito muitas vezes fere a dignidade humana e mostra a ausência de compaixão.
Aquilo que você viu, está visto. Aquilo que você ouviu nunca mais poderá não ter sido ouvido. Eu sei, lá no fundo, que esta noite aprendi algo que não pode ser desaprendido. E esta parte do meu mundo que foi alterada nunca mais será a mesma.

Achei a crítica social feita pela autora crua, direta, tornando-a ainda mais intensa. Na busca por uma perfeição inexistente, a forma como os excluídos são isolados e maltratados na história é algo que, infelizmente, conseguimos ver na sociedade atual. Pessoas com imperfeições físicas ou que não se encaixam no padrão estético perpetuando uma exclusão que as afeta tanto quanto a outros a quem consideram como inferiores. Pessoas utilizando e manipulando a justiça para que se adapte aos seus interesses de elite dominante. Algo tão triste e tão real que me fez chorar. 


Foto publicada originalmente em @lilinomundodoslivros
 
O livro mexeu com as minhas emoções. É triste vez que o ser humano muitas vezes só percebe as injustiças quando estas acontecem com elas. Já tinha lido um livro da autora e gostado de sua escrita, mas com Imperfeitos ela me conquistou de vez. Apesar de não concordar com a solução dada por Cecelia à injustiça vivenciada, achei que a forma como ela construiu críticas foram muito boas e bem desenvolvidas. Espero ansiosa pela continuação.
 
Sei a diferença entre o certo e o errado. Entendo as regras. Mas hoje sinto que as regras se tornaram menos claras, porque hoje elas estavam literalmente na porta de casa".


Beijos da Lili 💋

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Meninas na Literatura | Layout por A Design e Ilustração por MK Designer